Páginas

20 de nov de 2010

Voz Afônica

Palavras soltas, atiradas ao vento
Palavras simples, como um lamento
A pena movida por um momento
E então está expresso o que há por dentro

Meus olhos fechados mantenho
Não preciso ver para encontrar a ti
Pois você está sempre aqui dentro de mim...
Embora antes eu não soubesse

As palavras contidas me corroem por dentro
Só você alivia meu sofrimento
Tua face me é como um espelho
Que me revela diante de ti, de joelhos...

Perdoa-me a expressão vaga e as palavras pouco claras deste poeta
O que digo não é para ser ouvido
A voz da alma fala sozinha

Triste é meu mundo sem você, sem alegria
Felicidade é ter você como companhia
Alguém para chorar e comigo se alegrar
Até que meus sonhos cheguem ao fundo do mar.


(Poema de D. Joe)

Nenhum comentário:

Postar um comentário