Páginas

20 de nov de 2010

Auto-Traição

Traído por mim mesmo, sucumbo à minha vontade involuntária
Olhos que despertam o sono, adormecem-me a razão
Fios dum brilho dourado em meio à água tridividida
Cristais leitosos brilhando entre as trincheiras carnudas
Alegro-me com a visão que deveria querer evitar
Vozes largadas ao vácuo numa cacofonia estelar
O aroma de pulseiras e presilhas invadem-me a mente
E o torpor causa-me paralisia temporal
E fico estagnado no momento
Que anseio e repudio
Devido à resistência insubordinada de meus desejos


(Poema de D. Joe)

Nenhum comentário:

Postar um comentário